sábado, 23 de abril de 2011

[CASAMENTO de CONVENIÊNCIA, de Georgette Heyer]


A capa foi o que primeiro me chamou a ateçãopara este livro, que é uma publicação da Record. O tipo de livro para ler descompromissadamente em um feriado, como este, da Páscoa.
A autora sabe transmitir às leitoras muito bem, os costumes ingleses, em realísticas passagens os detalhes sobre moda, os hábitos, a linguagem, as convenções sociais, e mas não deixando de lado o tom de sarcasmo e humor que lhe é peculiar.

Neste livro, a história de Elizabeth, Horatia que ao ser pedida em casaento pelo conde de Rule, causa à bela jovem um dilema. Ela está comprometida com o admirável mas pobre, tenente Heron.A questão parece aparentemente resolvida quando sua irmã mais nova se dispõe a casar com o lorde Rule, no lugar da irmã. 

Ambientado em 1776, Casamento de Conveniência foi publicado pela primeira vez em 1934.  Numa revolução literária para a época, o casamento aqui não é visto como o final feliz para a história. Isso que dá vida ao belo romance, onde a irmã passa de personagem secundário a central.

A trama toda é descompromissada, um tanto engraçada e leve. Vale a leitura para quem como eu adora temáticas de época. 

Sobre a autora



Ela foi a criadora do gênero do romance inglês, e teve mais de 48 obras publicadas postumamente. Para saber um pouco mais, existe uma exescelente biografia O mundo privado de Georgette Heyer, por Jane Aiken, que eu ainda não procurei. Mas ela é autora também de inúmeros ensaios e artigos.

Georgette Heyer (16 agosto de 1902 - 04 de julho de 1974) se parece mais com uma mulher sofisticada único dos agitados anos vinte do que um inovador, não é? Mas, Geogette Heyer foi exatamente isso.  Ela teve sucesso imediato aos dezenove anos com seu primeiro livro, O Black Moth, publicado sob pseudônimo, Stella Martin. Ela sentia-se desconfortável com a fama. "Você vai me encontrar nos meus livros",  respondia aos entrevistadores e só foi realmente capaz de obter o anonimato, como queria, quando se casou,em 1925, tornando-se a Sra. Ronald Rougier. Seu marido era  um engenheiro de minas. O casal passou vários anos morando em Tanganica e Macedônia , antes de regressar a Inglaterra em 1929.

Saiba mais em Georgette H. 

Casamento de Conveniência
Editora Record
Folheando por conveniência_336 páginas

Faça sua oferta_R$ de 26,01 (Walmart) a  R$ 39,90 (Fnac e Livraria da Folha) via (Buscapé




 

quarta-feira, 20 de abril de 2011

[OS EMAIL´S DE HOLLY, de Holly Denham]


Chegando às livrarias esta semana, Os e-mails de Holly é uma leitura que é impossível de ler. Escrito em forma de e-mail, provocará gargalhadas nas devoradoras, da primeira a última página. Pelo menos é o que promete a Record, que lança em 770 páginas ao preço de R$ 79,90, o novo livro de chic-list. 

Tá certo é bem caro para um livro, mas considere um investimento! Divida com a amiga, leia e releia para que possa valer o investimento. Afinal, muitas devoradoras vão comentar as semelçhanças com as hilariantes situações descritas no livro. Imagine que em seu primeiro dia como recepcionista em um banco de investimentos londrino, Holly Denham não dá conta de suas inúmeras tarefas, se depara com colegas de trabalho nada amigáveis e, para completar, encontra uma metida ex-amiga dos tempos de escola que se transformou simplesmente em uma profissional bem-sucedida. Além de um início de carreira não muito promissor, ela ainda tem que lidar com uma confusa vida amorosa, amigos loucos e familiares que vivem querendo lhe dar conselhos. Para aliviar a tensão de uma rotina tão exigente ela recorre a sua Caixa de e-mail, uma fonte inesgotável de dramas e situações pra lá de engraçadas.

Eu já fiz o meu pedido, apostando que vou relaxar nesta leitura que promete! Recomendo e espero comentários. 



Sobre a autora

Holly Denham mora em Londres, tem perfil no Facebook (www.facebook.com/holly.denham) e dizem... que é o pseudônimo de Bill Surie, o proprietário de um serviço de emprego para recepcionistas e secretárias, em Londres.  Ele escreveu os email´s de Holly, para alavancar as vendas do seu primeiro romance, e tornou-se uma sensação da noite para o dia. Ele vive em Maida Vale, na Inglaterra.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

[TRISTES, LOUCAS E MÁS, A História das Mulheres e Seus Médicos Desde 1800, de Lisa Appignanesi]



A autora escreve sobre doenças mentais em mulheres. Em um relato oportuno e preocupante sobre evolução do diagnóstico e do tratamento em mulheres, partindo de análises de casos famosos, como o de Sylvia Plath, Zelda Fitzgerald, Virginia Woolf estão entre aqueles que fornecem uma abordagem precisa da psiquiatria ao longo dos últimos 200 anos. Um livro fácil, com respostas simples, para leigos (as) que se interessam pelo assunto.  

Desde a depressão sofrida por Virginia Woolf e Sylvia Plath a angústia mental e vícios da icónica belezas Zelda Fitzgerald e Marilyn Monroe. De Théroigne de Méricourt, a Fúria da Gironda, que desceu dos triunfos sangrentos da Revolução Francesa à loucura indomável em La Salpetrière de asilo, a Maria Cordeiro, irmã de Charles, que no meio de um colapso nervoso ligado a sua mãe com uma faca de cozinha. A partir de Freud e Jung e os avanços radicais da psicanálise de Lacan para a construção de um movimento moderno e as novas terapias mulheres-centrado. Esta é a história de como nós entendemos estados extremos da mente ao longo dos últimos 200 anos e como a concebemos hoje, quando mais e mais da nossa vida interior e emoções se tornaram um assunto para os médicos e terapeutas. Recomendo!

Sobre a autora
Nascida na Polônia, Lisa Appignanesi cresceu em Paris e depois mudou-se para a província de Quebec - primeiro em uma pequena cidade Laurentian, posteriormente, em Montreal. Frequentou a Universidade McGill, onde escreveu e foi para os recursos do editor do Daily McGill, passou um verão trabalhando para a imprensa canadense, duplicação da outra como garçonete e estudantes na Sorbonne.

Este livro cujo título original é Mad, Bad, and Sad: Uma História das Mulheres e da Mente Médicos de 1800 to the Present recebeu excelentes críticas, foi pré-seleccionados para vários e ganhou outros prêmios importantes. Ela está atualmente trabalhando num livro sobre o amor. Lisa Appignanesi é autora de As mulheres de Freud e O homem da Memória, os dois publicados também pela editora Record. 


Tristes, loucas e más
editora Record
Folheando_544 páginas
Valendo_ R$69,90 (o preço é uma loucura!) mas, no Walmart você acha por R$ 49,90

[MILAGRES MODERNOS, de Louise Hay ]



Este livro ainda não está disponível no Brasil. Mas, estou torcendo para que chegue logo por aqui. «Milagres Modernos», de Louise Hay, é a nova proposta da editora Pergaminho. Segundo Oprah Winfrey, a autora «transformou as vidas de milhões de pessoas com uma mensagem muito simples: ´Aquilo em que pensamos e que acreditamos torna-se verdade para nós.´» 

O livro contém testemunhos de leitores de todo o mundo (Grécia, Espanha, Holanda, Rússia, África do Sul, Nova Zelândia, Austrália, Brasil, Venezuela, Califórnia, Texas, Nova Iorque, Florida, Nevada, etc.) que aplicaram o método Louise Hay (um método que se baseia no conceito do pensamento positivo e em como podemos ser treinados a praticá-lo) - a diversas áreas das suas vidas – profissional, financeira, amorosa, familiar.
 
Nestas histórias, de crescimento e realização pessoal, os leitores revelam o poder transformador da mensagem de confiança, amor e esperança da autora»

 
 Sobre a autora



Louise Hay 
Louise L. Hay é conhecida como uma das fundadoras do conceito de “auto-ajuda”. Seu primeiro livro, “Cure seu corpo ”, foi publicado em 1976, bem antes da discussão sobre a conexão entre o corpo e a mente ter se tornado moda. Revisto e expandido em 1988, este best-seller introduziu o conceito de Louise para pessoas de 33 diferentes países e está sendo traduzido para outros 25 idiomas mundo afora.

Através das técnicas de cura e da filosofia positiva de Louise, milhões têm aprendido sobre como criar mais do que eles querem para suas vidas, incluindo bem estar para seu corpo, mente e espírito. 

Atualmente Louise lidera a “Hay House”, uma editora de sucesso. O que iniciou como um pequeno empreendimento na sala de sua casa tem se tornado uma próspera corporação que tem vendido mais de 10 milhões de livros e áudios desde seu início. Hay House se constitui de notáveis autores do movimento de auto -ajuda, incluindo Wayne Dyer, Joan Borysenko e Doreen Virtue entre outros. Ainda, A “The Hay House Foundation” e a “Louise L. Hay Charitable Fund” são duas organizações sem fins lucrativos estabelecidas por Louise que apoiam diversas organizações sobre Aids, mulheres e outras. 

"Milagres Modernos"
Louise Hay
Editora Pergaminho
15.50 Euros
à venda 


sábado, 9 de abril de 2011

[FLORDELIS, de Flordelis]



Flordelis enfrentou a pobreza, a violência e o preconceito para dar uma nova vida e o amor de uma verdadeira mãe a dezenas de crianças. Já são 50.
 
"Flordelis", virou um documentário, da história real   de uma mulher, moradora da favela do Jacarezinho, no Rio, que adotou 37 crianças e as criou junto de seus quatro filhos biológicos. Mas além da óbvia complexidade em se ter 41 filhos dentro de casa, Flordelis enfrentou outras adversidades em sua jornada, retratadas no filme e narradas por ela mesma.

A trajetória desta mulher sempre foi de muita luta ― a perda do pai em um acidente trágico, a vida difícil na favela do Jacarezinho, o preconceito... No entanto, ao invés de se tornar uma mulher amargurada, ela transformou essa experiência em estímulo para empreender uma cruzada pessoal, resgatando a dignidade de dezenas de crianças que (literalmente) adotou. Esta surpreendente história da mulher que venceu a pobreza, desafiou a violência e o preconceito da própria família para se tornar mãe de 50 filhos é narrada por ela mesma em Flordelis, lançamento da Thomas Nelson Brasil. O livro mostra, de maneira envolvente, as batalhas que a autora teve de enfrentar para conquistar a guarda e confiança de seus filhos, desde a adoção da primeira criança até a mais recente, passando ainda pelo nascimento de seus quatro filhos biológicos.

“Considero que alcancei inúmeras vitórias e realizei muitos sonhos. O principal deles foi, sem dúvida, o de conseguir me manter com as minhas crianças e ter me tornado mãe de todas elas. Claro que em alguns momentos eu me abati, afinal de contas, sou um ser humano de carne e osso, como qualquer outro”

A vida dessa carioca de origem humilde não foi nada fácil. A própria mãe, dona Carmozina, ameaçou interná-la em um manicômio ao perceber que a filha estava enfrentando até o tráfico para levar jovens drogados para casa, com a esperança de dar a eles uma vida melhor. O que a fez continuar? O amor e, acima de tudo, a fé. Ela provou que só sentimentos como esses são capazes de derrubar todas as barreiras.

“Quando minha mãe me viu chegar em casa com uma moradora de rua drogada, ela surtou. Os desentendimentos com a minha família ficaram cada vez mais frequentes. Para D. Carmozina, eu estava colocando a família toda em risco, e, mais uma vez, ela ameaçou me colocar no hospício [...] Os irmãos também não me compreenderam e ficaram do lado de minha mãe, tentando me convencer a parar com aquilo tudo”. (trecho do livro)

                                           “Essas crianças não são estatísticas, são meus filhos.”  
foto: Marie Claire


Sobre a autora 

Conhecida como s missionária do tráfico, Flordelis, nasceu e foi criada na favela do Jacarezinho, do Rio de Janeiro. Aos 19 anos, teve sua primeira filha biológica, Simone. Há 15 anos, Flordelis salva crianças do tráfico. São 50 filhos, entre biológicos e adotados. A grande família vive em uma casa de classe média alta, em Niterói, no Rio de Janeiro — ela conta com a ajuda do empresário Pedro Werneck para pagar o aluguel. As idades variam de três a 34 anos. Depois de ser tachada de santa, louca e criminosa, a história dela será contada no documentário Flordelis: basta uma palavra para mudar. Evangélica, também ministra com o marido, o pastor Anderson do Carmo, em igrejas de todo o país. Já lançou quatro CDs e criou o Instituto Flordelis de Apoio ao Menor (Ifam). 

Flordelis
Editora Thomas Nelson do Brasil
234 páginas viradas por_R$ 19,90 (Preço ótimo, e o valor vai para ajudá-la a manter as crianças) 
Compre aqui



domingo, 3 de abril de 2011

[UMA MANHÃ GLORIOSA, de Diana Peterfreund]


Para as Devoradoras que como eu gostam de comparar livro e filme, eis a boa dica da semana. Uma Manhã Gloriosa, filme que chegou às telas na sexta, (01.04) é editado pela Record. Como todas as adaptações na telona, o livro sempre é mais completo do que os filmes. Vale a pena ler a história de Becky Fuller, que trabalha como produtora de um programa de televisão numa emissora local de Nova Jersey. Ela é demitida, mas vê seu sonho de trabalhar em Nova York se tornar realidade quando aceita um emprego no Daybreak, programa com os piores índices de audiência, equipamentos velhos e uma equipe extremamente excêntrica. O objetivo de Becky é salvar a carreira, a vida amorosa e, claro, o Daybreak.

O filme tem Harrison Ford, Diane Keaton e Rachel McAdams no elenco, e é do diretor de Um lugar chamado Notting Hill e do roteirista de O diabo veste Prada. 

 Capa original



Sobre a autora
Diana Peterfreund nasceu na Pensilvânia, mas viveu grande parte de sua vida em Tampa, na Flórida. Foi figurinista, repórter e crítica gastronômico. Formada na Universidade de Yale ( 2001),  em Literatura e Geologia publicou seu primeiro romance, "Secret Society Girl, (A Sociedade Secreta, também editado pela Record, em 2006). O livro descrito como" inteligente e amável "pelo The New York Observer, e foi colocado em 2007, a New York Public Library's Books na lista de melhores publicações adolescentes.

Seu primeiro romance adulto jovem uma aventura de fantasia sobre unicórnios assassinos e os descendentes virgens de Alexandre, o Grande, foi lançado pela Harper Collins em 2009. 

Atualmente, Diana vive na Flórida com seu marido, sua filha, e seu cão e Depois de lançar o primeiro volume de Sociedade Secreta, mudou-se para Washington, onde vive atualmente. ela tem um site (em inglês), bem interessante, que você pode saber mais sobre o trabalho desta escritora que

Uma Manhã Gloriosa
Editora Record
Folheando em algumas manhãs_272 páginas
Pagando o preço_R$ 29,90 (Preço gasto numa tarde no cinema, incluindo a pipoca e o refrigerante, mas, sem companhia)