terça-feira, 29 de março de 2011

[A AMANTE DA CHINA, de Ian Buruma]

Foi na Manchúria da década de 1930, que a bela Yoshiko Yamagushi chegou ao estrelato numa série de filmes feitos para comemorar a ocupação japonesa na China. Sob o pseudônimo de Ri Koran, a japonesa Yamagushi criou sensação em melodramas retratando o romance entre uma doce camponesa chinesa e um heróico capitão de navio japonês. A carreira de Yamagushi como instrumento de propaganda militar continuaria forte até a rendição japonesa, em 1945. Sua incrível trajetória ganha vida em A AMANTE DA CHINA, com Ian Buruma. 

Um épico que engloba cinco décadas da conturbada história moderna japonesa. que conta uma história real vista através do olhar de personagens fictícios. Buruma usa os eventos da singular trajetória de vida de Yamagushi como metáfora para a mutante identidade do país: de ditadura militar a ruína pós-guerra e, finalmente, uma potência economicamente robusta, recuperada e rejuvenescida.

Ian, o autor aborda de forma singular a heroína, dividindo sua biografia em três partes. Cada uma narrada por um homem diferente, traçando um paralelo com uma fase diferente da ressurreição japonesa. Yamagushi reconstruiu sua carreira das cinzas da Segunda Guerra. Primeiro como estrela de filmes pro-americanos no Japão. Depois como atriz de Hollywood, sob a alcunha de Shirley Yamagushi, homenagem a Shirley Temple.

O livro trata, ainda, do papel do cinema na história japonesa, tanto como alicerce cultural quanto como ferramenta política usada por exércitos. Primeiro pelos japoneses na ocupação da China e depois pelos americanos no Japão. Mais do que uma viagem pela história da Ásia, A AMANTE DA CHINA é uma jornada pelas aspirações de uma mulher múltipla tentando se encontrar. Um belo romance literário de narrativa inteligente, capaz de dar conta de importantes detalhes históricos sem perder sua delicada veia literária.


 Sobre o autor

O holandês Ian Buruma estudou literatura chinesa na Leiden University (Leiden, Holanda) e cinema japonês na Nihonn University (Tóquio, Japão). Atualmente é professor de direitos humanos e jornalismo no Bard College, Nova York. Buruma fala inglês, alemão, francês, japonês e mandarim, tem 15 livros publicados e colabora com frequência para os jornais The New York Times, The Financial Times e The Guardian.

Editora Record
Folheando a vida alheia_420 páginas
Preço do amor proibido_R$57,90

sábado, 19 de março de 2011

[A VIDA IMORTAL DE HENRIETTA LACKS, de Rebecca Skloot]



Rebecca Skloot a jornalista especializada em ciência, reconta de forma emocionada a vida de Henrietta Lacks, a mulher humilde que mudou a medicina,  mesmo sendo negra, pobre e sem estudo. A descendente de escravos que nasceu Loretta Pleasant, em uma fazenda de tabaco no interior da Virginia, e que ninguém sabe como se tornou Henrietta, emigrou com o marido aos 21 anos para a região de Baltimore. Aos 30 anos, descobriu ser portadora de câncer, ocasião em que já era mãe de cinco filhos. Em poucos meses o tumor se espalhou pelo resto do corpo e rapidamente Henrietta perdeu o vigor e veio a falecer em 1951.


O uso indevido de seus tecidos para pesquisa, poderia ter beneficiado a família financeiramente, e jamais aconteceria no Brasil, já que as diretrizes de pesquisa com humanos implantadas em 1996 impedem o uso indevido de tecidos. Aqui, só é permitido retirar o material biológico e usá-lo para o fim específico que está no protocolo apresentado pelo pesquisador ao Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da instituição ao qual ele é vinculado. Se o material for ser usado novamente para outra pesquisa o paciente precisa dar novamente o seu consentimento. Se não for possível encontrar a pessoa tem de ser feito um novo projeto de pesquisa. Mas,  nos Estados Unidos, a lei não se aplica à pesquisa com tecidos, e armazenar tecidos ou sangue para pesquisa não requer legalmente um consentimento livre  o que quer dizer que a triste e incrível história de Henrietta Lacks poderia acontecer nos Estados Unidos novamente.


Foram mais de 10 anos para a autora fazer o texto. E, descobriu um novo mundo, que a transformou a ponto de ela criar uma fundação, para a qual doa parte dos lucros com a venda do livro, que provê fundos para os descendentes de Henrietta e também cobrir os custos do seguro saúde deles. Rebecca conseguiu ser comovente sem ser piegas e  ainda, falar de situações complicadas sem se deixar levar pela emoção fácil. Com uma história que reflete sobre os caminhos que a ciência muitas vezes, segue e suas consequências para a vida das pessoas. 




 Sobre a autora
Rebecca Skloot escreve para o New York Times, Discover e O.The Oprah Magazine, atualmente escreve para a revista Popular Science e é editora convidada do The Best American Science Writing 2011. Foi correspondente da NPR´s Radiolab  e na PBS´s Nova AcienceNOW. Lecionou escrita científica e de não ficção nas universidades de Nova York, Menphis e Pittsburgh. A vida imortal de Henrietta é o seu primeiro livro, tornou-se Best-seller imediato nos Estados Unidos, recebeu inúmeros prêmios e está sendo traduzido para mais de vinte línguas. A obra também será adaptada para TV pela HBO, com a produção de Oprah Winfrey e Alan Ball. 

Ela tem um site: www.rebeccaskloot.com  

A Vida Imortal de Henrietta Lacks 
Cia das Letras
Folheando_456 páginas
Custo_R$ 42,00 

Nas livrarias a partir do dia 14/03/2011 

[O LIVRO SECRETO DAS DIETAS DAS DIVAS DE HOLLYWOOD, de Kym Douglas e Cindy Pearlman]

LivroSecreto_capa_final.indd


Sob a mira de milhares de flashes e olhares, as celebridades precisam estar sempre impecáveis.  Qual são os segredos? O que as divas fazem para perder aquelas gordurinhas antes de encarar o tapete vermelho? E o que seus treinadores têm a ensinar? Essas e outras perguntas e suas respostas estão no Livro Secreto de Dietas das Divas de Hollywood, da dupla Kym Douglas e Cindy Pearlman. A rotina das estrelas: o que elas fazem, o que elas comem, os seus segredos de beleza e suas dietas. É uma espécie de consulta particular com os nutricionistas e treinadores mais cobiçados do mundo das celebridades. Muito interessante para acompanhar este segmento que só tem crescido, não apenas em Hollywood, mas no mundo todo.


Nem todas as divas passam a água e alface: Michelle Pfeiffer adora comida mexicana; Sienna Miller tem celulite e é preguiçosa; Eva Longoria se acaba nos bolos de chocolate e Catherine Zeta-Jones não vive sem seus sanduíches de salmão defumado e batatas fritas, mas então como elas mantêm aqueles corpos invejáveis? 

Durante os onze capítulos de O Livro Secreto de Dietas das Divas de Hollywood – um deles dedicado especialmente às mulheres com mais de 40 anos, que ensina como se manter em forma quando o metabolismo já não é mais o mesmo -, dezenas de dicas de alimentação e exercícios são abordadas e segredos vão sendo desvendados. Cheio de comentários divertidos, o livro mostra que é possível superar um dia gordo, como se preparar para um grande evento e, ao final, apresenta uma lista de receitas retiradas das dietas preferidas das celebridades de Hollywood para quem quer se alimentar como elas. Fáceis de fazer!

É um livro de dietas, mas, sem dietas, não têm cardápios prontos e cheios de restriçõess já que as autoras Kym e Cindy propõem, com a ajuda das estrelas e inúmeros especialistas, dicas que podem ser incorporadas facilmente ao dia a dia de nós, 'pobres mortais' para ficarmos e nos mantermos em forma. Mas, será que funciona? Corra até a livraria mais próxima e comprove! 

kym-douglas-cindy-pearlmanlg

Sobre as autoras:
 
O livro secreto de dietas das divas de Hollywood
de Kym Douglas e Cindy Pearlman

Número de páginas_224

Emagrecendo o bolso_R$34,00