quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

[PORQUE ELA PODE, de Bridie Clark]


Claire Truman passou cinco anos em uma grande editora como editora-assistente,esticando seu salário o máximo que podia para sobreviver. No entanto, sua vida está prestes a mudar miraculosamente. Após o trágico fim de um relacionamento,ela é arrastada pela melhor amiga para a inauguração de uma galeria, onde esbarra com o homem de seus sonhos da época da faculdade: Randall Cox.

Quando Vivian Grant, a tirana do mundo editorial, a chama na manhã seguinte, Claire se vê em um novo emprego, ganhando o triplo do salário anterior. Infelizmente a nova chefe é pior do que as fofocas do mercado a levam a imaginar. Telefonemas no meio da madrugada, pedidos impossíveis a qualquer momento do dia, explosões de raiva. Vivian a entulha de trabalho...e insultos. Agora que o trabalho de Claire exige cada vez mais, será que Randall continuará a ser seu príncipe encantado?

Quem não conhece esta história, ainda vai vivê-la um dia! Pelo menos foi exatamente isso o que eu pensei ao fechar este livro...


Sobre a autora


Bridie Clark trabalhou para importantes editoras norte-americanas de revistas e livros, e colaborou para The New York Times,Vanity Fair, New York magazine,entre outros. Bridie mora atualmente em Nova York com o marido, onde trabalha no segundo livro.

Porque ela pode

Editora Record
Podendo folhear_336 páginas
Vai te custar_ R$ 39,90



[CANALHA, SUBSTANTIVO FEMININO, de Martha Mendonça]



O termo canalha, usado para definir homens sem nenhum caráter, ganhou uma conotação feminina, nas histórias contadas pela jornalista da revista Época, Martha Mendonça. A escritora inverte a lógica de gênero que repete que “homem não presta” ou que “todo macho de verdade é cafajeste”, mostrando que a mulher, quando quer, sabe muito bem como ser muito mais canalha.

O recém lançado livro, foi objeto de comentário na deliciosa coluna Nossa Intimidade de seu colega ,Ivan Martins, que alías eu adoro e não perco uma...

Ivan cita que as mulheres deste livro de Marha 'fazem os cafajestes masculinos parecerem coroinhas'.Talvez ele conheça um universo limitado de mulheres 'capazes de tudo',  racionais, calculistas, oblíquas como o olhar de Capitu. Algo que ele não vê no universo masculino, pois é o seu universo.



Sobre a autora
 


Martha Mendonça é comparada por este livro ao inesquecível Nelson Rodrigues, o grande sintetizador do universo imoral brasileiro. Suas personagens são pecadoras de classe média baixa, criaturas infames do repertório da família degradada que o autor de Vestido de Noiva e Beijo no Asfalto reconheceria instantaneamente. Ela publicou, com Nelito Fernandes, o romance Eu e você, você e eu, publicado pela Record, e a peça Os difamantes, sucesso nos palcos do Rio e de São Paulo.


São histórias onde a figura da mulher aliada a passividade não existe! Já solicitei o meu exemplar. E você? Leia e poste aqui suas impressões... vou adorar saber!

Gênero_Crônicas/Contos
Folheando a Canalhice Feminina_144 páginas
Preço da Canalhice_R$ 29,90 (baratinho) 


segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

[YAKUZA MOON - MEMÓRIAS DA FILHA DE UM GÂNGSTER, de Shoko Tendo]



Esta é uma história crua chocante da trajetória dos envolvimentos amorosos e da vida familiar nos anais da Yakuza, segundo o The Wall Street Journal. Há algum tempo li uma entrevista com Shoko Tendo, na revista Marie Claire: Ela é a voz feminina da máfia. Na época, não se sabia quando o livro iria ser lançado no Brasil. E aí está ele... finalmente...

Quem a vê hoje brincando com sua filha provavelmente imaginará estar apenas diante de uma mãe comum, mas basta que ela coloque uma blusa de manga curta para que esta primeira impressão seja desfeita. A tatuagem fechada, característica dos membros da Yakuza - organização criminosa equivalente à Máfia na sociedade japonesa -, que cobre tronco, braços e coxas é apenas uma das lembranças de seu passado que inclui, além de luxo e dinheiro, distúrbios alimentares, abusos, dívidas, casamento, divórcio e tentativa de suicídio. 

“Escrever este livro foi uma maneira de enfrentar os demônios que me assombraram pela vida toda”, afirma Shoko, que em Yakuza Moon – Memórias de Filha de um Gângster apresenta ao leitor uma realidade muito distante do glamour com que o cinema costuma retratar a vida de membros de grandes organizações criminosas. 

Filha de um chefão da Yakuza, Shoko lançou suas memórias em 2004, no Japão, com uma modesta tiragem de apenas mil exemplares. No entanto sua história surpreendeu a todos ao se tornar um best-seller com mais de cem mil exemplares no país e ser traduzido para 12 idiomas. O livro chega nas proximas semana às principais livrarias.



Sobre a autora

Filha de um chefão da máfia japonesa, Shoko Tendo foi a primeira mulher a quebrar o código de silêncio da organização. 

Ao crescer, a palavra 'Yakuza' nunca era pronunciada na casa palaciana em que morava com os pais, o irmão e duas irmãs na cidade de Sakai, em Osaka.

As mulheres da Yakuza, embora raramente se envolvam em atividades criminosas, são difamadas por associação. 'No Japão, é impossível esconder seu passado ou de onde vem. Percebi que a única maneira de mudar minha vida seria sendo honesta sobre o que vivi.'

Yakuza Moon- Memórias da Filha de um Gângster
Editora Ofício das Letras

Quanto vale a voz feminina da máfia japonesa_R$ 29,90 (Mas, achei por R4 24,90, com frete GRÁTIS, na Cia dos Livros)

 Folheando o hermético mundo da Yakuza_ 248 páginas






  

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

[MENSAGEM DE UMA MÃE CHINESA DESCONHECIDA, de Xinran]


(capa original)


Eu simplesmente AMO tudo o que li da Xinran. Com este livro acredito que não será diferente. Ele chega às livrarias no dia 18 agora (fevereiro) e eu já encomendei o meu exemplar.

Neste livro, uma mãe dá a voz a todas as mães chinesas que não puderam vivenciar plenamente a maternidade por terem dado a luz a filhas mulheres. 
Sabemos dos aspectos cruéis e polêmicos da sociedade chinesa contemporênea, que desvalorixa bebês do sexo feminino. O que conhecemos no ocidente, sobre a lei chinesa de planejamento familiar, que impõe a política do filho único, já é o suficiente para nos arrepiarmos. 

As razões sociais e todo o contexto histórico deste país levam a extremas atitudes de infanticídio de bebês do sexo feminino, principalmente no interior da China. O sentimento humano que resulta desta cultura machista é apresentada em dez capítulos, com dez histórias marcadas pelo corte no relacionamento entre maãe e filha, de meninas que nunca conheceram suas mães biológicas e mulheres que deram suas filhas à adoção de casais camponeses, e nunca mais se encontraram.  São centenas de mães chinesas que se viram levadas a rejeitar suas crias, ou até matar suas bebês nas áreas mais pobres da China.


Sobre a autora


Xinran! nasceu em Beijing, em 1958. Trabalhou como jornalista por muitos anos em Nanjing, onde apresentou o programa de rádio Palavras na Brisa Noturna, que deu origem a seu livro As boas mulheres da China, im dos livros mais lindo que já li, sobre a vida das mulheres chinesas. Atualmente ela é colunista do jornal The Guardian e professora na School of Oriental e African Studies da Universidade de Londres.
Em 2004 Xinran fundou uma Ong a The Mother´s Bridge of Love, que busca auxiliar orfãos chineses e estreitar a compreensão entre Ocidente e China.

Xinram lançou também Entrerro Celestial, O que os Chineses Comem, Testemunhas da China e Filhas sem Nome. Todos pela Companhia das Letras

 Mensagem de uma Mãe Chinesa Desconhecida


Companhia das Letras


Folheando_ 272 páginas


Custo da "Mensagem"_R$ 42,00 



[PRECISO FALAR - O ALMANAQUE DO UNIVERSO ROSA, de Vanessa Costa Mainard e Maria Helena Rodrigues]

precisofalar
Pelo mundo cada vez mais globalizado, transitam não apenas informação aos quatro cantos do mundo, mas, tem permitido que nós mulheres troquemos experiências e possamos falar abertamente sobre todos os assuntos possíveis.

E não é que surge um livro sobre este canal de expressão para as mulheres? A origem de Preciso Falar - O Almanaque do Universo Rosa foi a partir do site precisofalar.com.br, um espaço só para mulheres, mas que os homens também adoram espiar e comentar. Afinal, o homem moderno quer conhecer o que vai na cabeça e no coração das mulheres. O devoradoradelivros também possui leitores aos quais indico especialmente este livro.  

O diferente nele é poder folheá-lo e se reter em diferentes e divertidos assuntos, sem ter que seguir a ordem natural de leitura: página por página. O livro Preciso Falar – O Almanaque do Universo Rosa traz entretenimento para os dias em que se quer ler algo solto, sem compromisso. Tem desde assuntos polêmicos, e apimentados (com um alerta de que essa é a parte de conteúdo impróprio para menores), até dicas espertíssimas para ampliar ainda mais seu universo, sem falar nas fantásticas experiências de viagens das autoras, diferentes dos olhares de guias turísticas, que estamos acostumados por ai.

O livro, que é um verdadeiro achado, nasceu em 2008, através do site e claro, logo  atraiu olhares e parcerias. Então, vieram os pedidos para que o site virasse livro. Para ser degustado em pequenas e doces doses, a qualquer hora, em qualquer lugar! 

Nas suas páginas, você vai achar: 

 Blogs que falam sobre o cotidiano da mulher; Histórias de vida que emocionam e contos eróticos que enlouquecem...
Sugestões de viagens, filmes e livros: puro entretenimento.
Os tópicos mais debatidos no Fórum do Preciso Falar.
E mais, muito mais para a mulherada se deliciar!
(Cantinho Privado_Cuidado, contém parte de conteúdo impróprio para menores)


Sobre as autoras: 


preciso faalr_vanessa e mhelena
Maria Helena Rodrigues e Vanessa Mainardi, publicitárias e estreantes no mundo literário, encararam o desafio de transformar o site (www.precisofalar.com.br) mais feminino da web em livro. 
Preciso Falar – O Almanaque do Universo Rosa


Editora Triskle

Folheando o Almanaque Rosa, você terá 392 páginas
Custo do Almanaque_R$ 49,10 (Vale o conteúdo) 

Compre pelo site ou no www.livrariacultura.com.br



quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Autores e seus fãs


Sempre que leio um livro, fico curiosa em saber como o autor trataria seus leitores. Até hoje, tive sempre ótimas impressões sobre os meus autores preferidos.

Foi o caso de Laurentino Gomes, autor de 1808 e 1822, dois livros ótimos, que tive o previlégio de comentar ainda no meu tempo de crítica literária da revista UMA. (No caso de 1808, já que o 1822, não havia sido lançado ainda). 


Procurei contato com o autor, pois queria dar os livros de presente a uma pessoa que gosto muito, e que nos conhecemos por ter em comum, o gosto pela leitura. Fucei no Facebook, no site do próprio autor e enviei um pedido para ter seu autógrafo nos livros. Final de ano, período de férias...não perdi a esperança. Eis que um belo dia, recebo uam resposta, com um pedido de desculpas do prórpio autor, por ter demorado em me responder... Ele, a quem eu vagamente acompanhava a trajetória profissional, passou a ser um ícone no meu conceito.

Fiquei feliz, e surpresa em ver o quanto Laurentino Gomes,  se preocupa em atender seus leitores. Alguns email´s depois, ele me passou sua agenda e apareci em uma de suas palestra, onde fui recepcionada com um carinho inesperado, e uma atenção que me surpreendeu, ao ser apresentada como 'sua amiga do Facebook'.


Mas, não se iludam, nem todos os autores são assim. Eu tenho muita sorte...Esse carinho entre autor e leitor, deveria ser um exemplo para todos os autores.

E você, já teve sua história com seu autor preferido?

Para cada livro impresso a Amazon vende três e-books

amazon-logo[1].jpgNo balanço relativo ao período que se encerrou em 31 de janeiro de 2011, a Amazon divulgou que três livros digitais (Kindle) para cada livro de papel em seu site americano. O site também realiza vendas para lugares que ainda não contam com edições Kindle. Em julho, os livros eletrônicos já haviam superado os livros impressos, mas no fim do ano a proporção chegou ao incrível número de três para um. A loja tem mais de 810 mil livros digitais. Má notícia para os brasileiros: quase a totalidade deles está em inglês. (PublishNews). 
                                         
                                         E você, se interessa pelo e-book? Pretendo adquirir um?