quarta-feira, 17 de agosto de 2011

[O SEGREDO DO CHANEL Nº 5: A história íntima do perfume mais famoso do mundo, de Tilar J. Mazzeo]

Foto: Reprodução

O perfume que leva a assinatura de Coco Chanel é mais do que um sucesso de vendas. Ele também reflete o tino empresarial de sua idealizadora. Da estratégia de apresentação, que incluiu um jantar comemorativo em um restaurante exclusivo em Cannes, com o ar ao redor de sua mesa furtivamente perfumado com a nova fragrância, ao licenciamento do produto, entregue aos seus sócios na Les Parfums Chanel, todas as ações envolvem manobras brilhantes de Mademoiselle Chanel, que soube transformar sua criação num verdadeiro símbolo da cultura francesa, identificado inclusive como ícone da resistência durante a Segunda Guerra Mundial, a despeito das ligações de Chanel com os alemães.



 A trajetória da fragrância mais famosa do mundo, sinônimo de sensualidade e sofisticação, é contada com charme e uma prosa envolvente em O segredo do Chanel nº 5 – A história íntima do perfume mais famoso do mundo. Conhecido entre os especialistas como le monstre, o Chanel nº 5 atravessou o século XX como um ícone de feminilidade e mantém até hoje lugar de destaque na seleta galeria de objetos de desejo da indústria do luxo. Mas o que está por trás de tanto sucesso? Graças a um minucioso trabalho de pesquisa, a historiadora cultural Tilar J. Mazzeo – autora do bestseller A viúva Clicquot e expert em biografias que unem produtos glamurosos a fascinantes personalidades femininas – separa o que é lenda e o que é verdade na criação do perfume.

A autora começa mostrando como Gabrielle Chanel cresceu entre as freiras do orfanato da abadia de Aubazine, na França. Afinal, conhecer a vida de Chanel é fundamental para entender o processo que fez o Rallet nº 1, aroma favorito das mulheres da dinastia Romanov, desaparecido junto com a Rússia imperial, renascer em terras francesas. Aperfeiçoado por seu criador, o Rallet se transformaria no emblemático Chanel nº 5.

Misturando essências de rosas e jasmins, além de moléculas conhecidas como aldeídos, o perfumista Ernest Beaux realizaria o desejo de Coco Chanel: obter um aroma que fosse sexy e provocante, mas ao mesmo tempo sofisticado e feminino. A combinação de um buquê natural e outro sintético, atuando em sutil equilíbrio, é parte do segredo do Chanel nº 5, e deu origem a uma família de fragrâncias completamente nova: a dos florais-aldeídos.


De acordo com a autora,  o segredo do Chanel nº 5 não está apenas na excelência do produto, em estratégias de marketing ou na vida de sua criadora. O que faz a diferença é a fascinação coletiva que o perfume desperta – em média, a cada 30 segundos um vidro é vendido em algum lugar do mundo. Ainda hoje, as mulheres se rendem ao charme da fragrância como acontecia na década de 1920, descobrindo por que Marilyn Monroe fez dela a sua favorita. 


Sobre a autora

Foto: Reprodução

Tilar J. Mazzeo, é historiadora cultural e biógrafa, além de uma estudiosa apaixonada pela produção de vinhos e culinária. Ela mora nos Estados Unidos, onde divide seu tempo entre a Califórnia, a terra americana do vinho, e o Maine, onde é professora-assistente no Colby College. A Viúva Clicquot é seu primeiro livro publicado no Brasil.

O Segredo de Chanel nº 5
de Tilar J. Mazzeo, 
Perfumando a estante por_34,90
Folheando Chanel nº 5_R$304 páginas



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente