quinta-feira, 21 de julho de 2011

[MINHAS VIZINHAS, de Claudia Priano]

Foto: reprodução

Margherita sente-se perdida em meio às caixas que enchem a sala do seu novo apartamento . Acaba de sair de uma crise, mas ainda sente-se abalada. 

Percorre os cômodos, tentando pensar por onde comecará a arrumação. De repente, um ruído baixinho, vindo do apartamento vizinho, a distrai. Parece ser uma mulher chorando. Cola o ouvido na parede e assusta-se com o que vem em seguida. O barulho é forte e um homem grita, objetos se quebram, a mulher chora alto. Incrédula e aterrorizada, fica sem saber o que fazer. Bater na parede, ligar para a polícia, gritar com todas as forças. 

Margherita é a protagonista de Minhas vizinhas, primeiro livro da italiana Claudia Priano a chegar ao Brasil. Ao longo das páginas, a autora revela os segredos da personagem, uma escritora que procura afastar o fantasma da depressão ao se mudar, e viver a sua lenta adaptação à nova realidade. Com momentos de delicadeza e solidariedade entre mulheres intercalam-se com outros, violentos e assustadores, diante dos quais nem sempre é possível saber qual a melhor forma de agir. 

Diante da reação inesperada de Anna, Margherita resolve se recolher e ignorar o que se passa atrás das paredes. Os dias vão passando e, colocando tudo no lugar. 

Repleto de vidas, histórias e experiências diferentes, Minhas vizinhas envolve o leitor desde a primeira página e instiga a refletir, mesmo que não de forma explícita, sobre os vários tipos de dramas vividos por mulheres entre quatro paredes.

Sobre a autora

Foto:reprodução

Claudia Priano nasceu e vive em Gênova. Vencedora de vários prêmios literários escreveu, entre outros títulos, Cose che capitano (2006), Con il cuore leggermente indolenzito (2007),Medicina generale (2007) – este último roteirizado para a emissora de televisão Rai Uno

Minhas vizinhas
Editora Rocco 
de Claudia Priano

Folheando a vida alheia_256 páginas
Custo na vizinhança_34,50


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente