sábado, 9 de julho de 2011

[A ARTE DE PERDER, de Michael Sledge]

 Foto:Reprodução

 "A Arte de Perder", lançado agora no Brasil pela Leya é  a história do célebre caso de amor entre a poeta americana Elizabeth Bishop e a urbanista brasileira Lota de Macedo Soares. 

De acordo com o autor do livro, que está presente à FLIP - Feira Literária Internacional de Paraty, a história de "A Arte de Perder"  fala dos dias da escritora e poetisa,Elisabeth Bishop, com Lota em Samambaia [sítio na região de Petrópolis], e o envolvimento de Lota nos acontecimentos políticos e culturais daquela época, os eventos reais a política turbulenta, os políticos e artistas que orbitavam em torno delas. 

Só a história pessoal de Bishop já foi terrível: seu pai morreu quando ela era criança, sua mãe foi internada num manicômio, e ela foi criada por parentes ao longo da infância. Enfrentou o alcoolismo e problemas de saúde por toda a vida. Já sobre Lota, sua companheira, há pouca coisa publicada. Principalmente, sobre o inicio da sua vida. 

O título americano vem da dedicatória de Elizabeth, a Lota no seu livro "Questions of Travel", de um soneto de Camões. "(...) O dar-vos quanto tenho e quanto posso/ Que quanto mais vos pago, mais vos devo."


É uma dedicatória comovente, significa que para Elizabeth o maior presente que Lota lhe deu foi a oportunidade de amar com todo o seu ser. Isso realmente formou o núcleo do que eu esperava escrever sobre --que, apesar de sua história envolver grandes tragédias, ainda é uma história de amor triunfante.

Então no começo eu senti que o título brasileiro enfatizou a perda, em vez do ganho. Mas, por outro lado, é tomado daquele que é sem dúvida o poema mais famoso de Elizabeth, "One Art", sobre a devastação, e a sobrevivência de uma enorme perda, e isso também é algo poderoso e belo relacionado a este romance. 

O livro é, segundo o autor, uma oportunidade para ir mais fundo nas personagens das duas mulheres e na relação entre elas. "A vida privada delas e como elas falavam entre si não estão documentadas, e foi aí que eu fiquei livre para vagar, ficcionalmente falando", diz Michael Sledge .


O poema abaixo, é um dos mais famosos de Bishop, "One Art":

A arte de perder não tarda aprender;
tantas coisas parecem feitas com o molde
da perda que o perdê-las não traz desastre.
Perca algo a cada dia. Aceita o susto
de perder chaves, e a hora passada embalde.
A arte de perder não tarda aprender.
Pratica perder mais rápido mil coisas mais:
lugares, nomes, onde pensaste de férias
ir. Nenhuma perda trará desastre.
Perdi o relógio de minha mãe. A última,
ou a penúltima, de minhas casas queridas
foi-se. Não tarda aprender, a arte de perder.
Perdi duas cidades, eram deliciosas. E,
pior, alguns reinos que tive, dois rios, um
continente. Sinto sua falta, nenhum desastre.
- Mesmo perder-te a ti (a voz que ria, um ente
amado), mentir não posso. É evidente:
a arte de perder muito não tarda aprender,
embora a perda - escreva tudo! - lembre desastre.



 Foto:Reprodução

Elisabeth Bishop



 O FILME_A Arte de Perder


A brasileira Carmem de Oliveira escreveu o livro "Flores Raras e Banalíssimas" (Rocco), que será adaptado para o cinema por Bruno Barreto. A trama vai girar em torno da história de amor entre Lota e a poetisa norte-americana Elizabeth Bishop. No entanto, a atriz que interpretará o par de Glória Pires ainda não foi definida. 


O longa começa a ser rodado agora no segundo semestre de 2011 com cenas no Rio de Janeiro, Petrópolis, Veneza e Nova York. Glória Pires, fará o papel de Lota, a companheira de Elizabeth Bishop que morreu dias depois de tentar o suicídio em 1967, e completaria 100 anos agora em 2010.

                                                              Foto:Reprodução
Glória Pìres, que fará o papel de  Lota no cinema

A arte de perder
Gênero_Romance
Editora_LeYa
Autor_Michael Sledge 
Folheando a perda_320


Um comentário:

  1. Esse livro despertou meu interesse. Não sou devoradora, (risos), mas me dedico muito à um bom livro, e apesar do tema polêmico - o qual não muda minha opinião - essa parece ser uma linda história, que passou bem perto da minha cidade.

    Parabéns pelo blog... se quiser passar no meu, obviamente será Bem-Vinda.

    ResponderExcluir

Comente