quarta-feira, 1 de junho de 2011

[A história da (in)felicidade de Richard Schoch]


O que é a (in)felicidade? Entre Platão e Prozac, a felicidade deixou de ser uma realização grandiosa do ser humano para se tornar um direito. Hoje, encarada como um privilégio, já foi considerada uma virtude. 

Foram os gregos que pela primeira vez pensaram na sensação de bem-estar há mais de dois mil anos atrás. Hoje, somos influenciados por uma versão muito mais simples que aquela adotada pelas culturas antigas. Só o fato de termos prazer material e a ausência de dor e sofrimento já são suficientes para promover a falsa sensação de felicidade. A sociedade atual infelizmente perdeu a capacidade de compreender a natureza moral da felicidade,  e se conforma com os prazeres efêmeros e a mera ausência de dor e sofrimento. Parece pouco?

Mas a realidade pode ser outra. Em A história da (in)felicidade, Richard Schoch argumenta que é possível enriquecer a existência humana por meio da compreensão das tradições religiosas e filosóficas sobre a felicidade, usando-as em favor próprio. 

Combinando entretenimento e autoridade intelectual, A história da (in)felicidade oferece o conhecimento necessário para enfrentar as dificuldades da vida moderna. Segundo Schoch, apenas por meio da redescoberta da filosofia de vida que começou com os filósofos de Atenas e com os sábios hindus será possível aprender como ser genuinamente feliz novamente. Mas do que teoria, um livro para reflexão. Recomendo!

Sobre o Autor



Richard Schoch é professor de História da Cultura na London University, onde também é diretor da graduação em Ciências Humanas e Sociais. Já publicou livros sobre Shakespeare, a rainha Vitória e temas burlescos.


Folheando em busca da Felicidade_ 280 páginas
Custo de saber a 'história toda'_R$ 44,90
Gênero_Ensaio

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente