sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

[CLARICE NA CABECEIRA – Crônicas, de Teresa Montero-Org.]

conteudo_85

O último livro do ano. Fechado a chave de ouro! Minha autora preferida: Clarice Lispector!
Foi ela quem me acompanhou nas noites de insônia, nos dias não tão perfeitos de 2010. Mas, ela é minha companheira desde sempre! Leio e releio suas obras. Gosto de todas…

Nesta compilação de vinte textos escolhidos por convidados para falar da obra de Clarice encontrei uma leitura de narrativas curtas que foram publicadas entre 1962 e 1973, na revista Senhor e no Jornal do Brasil. Depois foram agrupadas nos livros A descoberta do mundo (meu preferido) e Para não esquecer.
Os temas abordando são tão diversos quanto as memórias da infância, a vida, a morte, o amor, o ato de escrever, o silêncio, a maternidade e a indignação, e as crônicas ganham sabor especial quando são apresentadas por amigos e admiradores de Clarice, que compartilham o impacto da escritora e de sua obra em suas vidas. Gente como Eduardo Portella, Ferreira Gullar, Marília Pêra, Maria Bonomi e Naum Alves de Souza, entre outros, também saboream a minha musa. Com organização de Teresa Montero, autora de Eu sou uma pergunta – Uma biografia de Clarice Lispector, também publicada pela Rocco. Clarice na cabeceira é a oportunidade de conhecer todos os momentos perfeitos desta autora ucraniana e tão brasileira, que transforma perfeitos momentos da vida em perfeitas palavras” E eu, concordo com Caetano Veloso quando fala do sentimento que a leitura de Clarice provoca ao falar de temas leves, mas igualmente pertinentes à reflexão sobre o estar no mundo.   

Meu preferido é “Se eu fosse eu”, um pedaço da árdua legitimação de ser quem se é. Mas, não posso deixar de ter dúvidas com “Mal-estar de um anjo”, selecionada por Joaquim Ferreira dos Santos, que fala sobre quando um simples ato de generosidade se transforma em arrependimento da caridade praticada. Muito reflexivo…

Clarice me ajuda aa lidar com as emoções. Por isso gosto de sua obra, em diferentes momentos, lidas a exaustão, de tempos em tempo…

Parabéns a Editora Rocco que proporcionou aos leitores de Clarice a oportunidade de reler suas obras, reeditando-as, e ainda doou uma coleção das obras completas de Clarice Lispector para cada uma das bibliotecas indicadas pelos leitores convidados. 

Sobre a autora
Clarice


Uma das maiores escritoras do século XX, Clarice mudou os rumos da narrativa moderna com uma escrita singular, passando por diversos gêneros, do conto ao romance, da crônica à dramaturgia, da entrevista à correspondência e, também, pelas páginas femininas dos jornais.
Nascida em 1920, na Ucrânia, uma das repúblicas da extinta União Soviética, de família judia, Clarice chegou ao Brasil com os pais e mais duas irmãs em 1922 e logo foi naturalizada brasileira. Morou em Maceió e depois em Recife, onde passou a infância. Perdeu a mãe em 1930 e, três anos depois, o pai mudou-se com as filhas para o Rio de Janeiro. 

No Rio, formada em direito trabalhou como jornalista e iniciou sua carreira literária com o romance Perto do coração selvagem, em 1943. Viveu muitos anos no exterior, em função do casamento com o diplomata Maury Gurgel Valente, com quem teve dois filhos, Pedro e Paulo. Clarice morreu em 9 de dezembro de 1977, no Rio de Janeiro, um dia antes de completar 57 anos.


Clarice na Cabeceira
Editora Rocco 

Folheando as crônicas de Clarice :176 páginas
O custo do livro de cabeceira : R$ 24,00 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente