quarta-feira, 28 de abril de 2010

[O CRÂNIO SOB A PELE, de P.D.James]

pdjames

P.D.James é mestre em suspense, nada a compara a Agatha Cristie, mas é tão boa quanto.

Nesta tradução de Celso Nogueira, A jovem detetive Cordélia Gray, parte de um verso de T.S.Eliot, para abordar o medo paralisante da morte. “Webster, de tão possuído pela morte/Percebia o crânio sob a pele”

A jovem e inexperiente detetive que herda uma agência de investigação após o suicídio de seu chefe apareceu pela primeira vez em Trabalho Imprópio para uma mulher (escrito em 1972 e publicado pela Cia da Latras em 2008).

Como em todos os clássicos da autora, em O Crânio sob a Pele, P.D.James exibe uma trama de complexidade excepcional, num gênerto muitas vezes marcado pela divisão simplista do bem e do mal. Desta vez ao ser contratada para acompanhar e investigar uma atriz de teatro que vem sendo ameaçada de morte, Cordélia se vê em meio a uma acusação de assassinato, em um castelo mediaval ao largo da costa inglesa de Dorset. Procurando por evidências físicas do crime, a detetive conclui que “todos são capazes de matar”, incluindo ela

Gênero_Policial (dos bons)

Editora_Companhia das Letras

Para descobrir o mistério_ Paga-se por 440 págs,. R$ 48,00 (razoável, mas você pode encontrar com descontos nos links ao lado)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente