domingo, 20 de dezembro de 2009

[MEU AMOR, de Bia Bracher]



Conheci Bia em 1998 quando fui trabalhar na Editora 34. Era para eu ficar uma semana acabei ficando cinco anos por lá. Bia sempre delicada, tranquila, simplesmente elegante, já tinha no olhar a vontade de mudar. Não queria ser conhecida apenas como a filha do Ministro. Ela tinha muito mais a mostrar e uma ansiedade de transformar as coisas ao seu redor.
Soube por ela que casou cedo. Muito cedo. Aos 15 anos, e que morou no Japão. Só isso já era para mim uma história de vida. Ela falava pouco, mas ouvia com atenção. 
Todos se surpreenderam quando ela de repende (ou não!), decidiu estudar cinema, se casar, e abandonar a Editora, não nesta ordem, claro! Pouco depois ela lança um roteiro, escreve um livro, depois outro... ganha um prêmio Jabuti, e aqui está ela de novo como a escolhida autora do melhor livro do ano pelo caderno Mais!, onde eu iniciei minha vida jornalística. Um ciclo literário que se completa, mas não termina...


Bia ganhou o prêmio Clarice Lispector 2009, de melhor conto, da Biblioteca Nacional, com este livro, e Marina Colassanti (minha primeira autora de cabeceira, ganhou com Passageira em Trânsito, da Record, que em breve, falarei aqui).


"Neste livro de contos que Bia escreveu e reescreveu entre 2004 e 2008,  à primeira vista muito díspares, são intimamente ligados por um olhar crítico e ao mesmo tempo amoroso sobre a fragilidade da vida".  Preciso ler... e você também! 


Meu Amor
Editora 34
Quanto_R$ 27
Gênero_Contos


foto de Filipi Redondo 12.03.09 Folha Imagem

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente