sábado, 19 de dezembro de 2009

[DISCUTINDO LITERATURA - CLARICE LISPECTOR]


A sensibilidade de Clarice Lispector deu fôlego à literatura brasileira e um novo sentido ao termo "literatura intimista". Mulher de rara e exótica beleza cuja singularidade sobre o ser e o estar no mundo superou em muito o exotismo de sua exterioridade. Escritora, advogada, jornalista, mãe e embaixatriz, foi uma cidadã do mundo. Vinda da gelada Ucrânia, viveu no Recife e em várias cidades do mundo, indo fixar-se no Rio de Janeiro. Mas, lendo Clarice, vendo-a e ouvindo-a tem-se a impressão de que nunca encontrou o seu lugar no mundo, senão no doloroso exercício de escrever.

Quem nunca passou pela extraordinária aventura de se deleitar com os seus textos não pode se furtar a essa experiência. Quem já experimentou sabe que se trata de uma tarefa  sem fim, pois cada vez que retomamos a eles, mais e mais Clarice se revela aos nossos olhos. Todo o seu viver está refletido numa obra fantástica que tem a missão infinita de transformar seus leitores. Eu fui uma delas. Devoradora de Clarice que sou releio A Descoberta do Mundo. O meu livro preferido, há exatos 20 anos. Recomendo!




Este livro que reune uma coletânea de crônicas de 1984, ganha agora, 25 anos depois, uma nova edição. Os textos revelam elementos da escritora reflexiva que tanto se preocupou com a essência da alma humana. As crônicas também mostram como ela se preocupava com o leitor, e desejava uma troca profunda com ele. Mesmo resistente a relatos autobiográficos, Clarice Lispector deixa escapar fatos mundanos e muito pessoais em suas crônicas. Da descoberta do amor ao seu comportamento impulsivo, do ato de escrever à saudade, a autora se deixava entrever em suas histórias para o jornal. A maternidade, por exemplo, é tema constante nas crônicas. As recordações de infância e adolescência são afetuosas e calorosas, incluindo repetidas declarações de amor à literatura e às primeiras leituras de Monteiro Lobato, em menina.


A qualidade literária passa por todas as histórias, das frases sucintas aos relatos mais detalhados sobre jantares e encontros, além de impressões sobre alguns personagens que atravessam toda a sua obra, inclusive a literária, como videntes, cartomantes, empregadas domésticas, crianças e velhos. Através de suas crônicas, Clarice Lispector pôde estabelecer um elo freqüente e sincero com seus leitores, apresentando sua obra para aqueles que ainda não a conheciam, ampliando o alcance de sua trajetória, semeando uma popularidade que, desde então, não parou de crescer.


A Descoberta do Mundo
Editora Rocco
Folheando_480 páginas
Custo_R$ 58,50

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente